quarta-feira, 25 de agosto de 2010

26-08-10

De repente me peguei invadindo sua intimidade.
E senti.
Sim, eu senti um vazio
ácido, derretendo parte
do meu coração.
Ao ver suas fotografias, percebi que
para 'muito', ainda estou
longe das suas prioridades. Pensei
em parte
do que já vivi e me
aborreci lamentando pela
falta do que eu não sei lidar ou cobrir.
Para tanto, a vida
têm me deixado
com um
pé atrás da orelha, em dias tenebrosos. Sobre a insegurança,
descrevi
em várias fases,
muitas frases
aleatórias.
Rodeando...é isso que a vida me tem feito.
Não há fluxo seguro
para exigências
'descabíveis'; as
vejo como absurdas...mas confesso que
gostaria de tê-las. Ou
podê-las. Querer não é poder. Pelo menos não por enquanto.
Enquanto vivo, vejo o sol se apagando. E apagando. E apagando.

2 comentários:

  1. Não há fluxo seguro, mas é esse o barato da vida! =D

    ResponderExcluir
  2. babe, o sol so se apaga pra poder re-acender. /

    ResponderExcluir